gototopgototop

Traduzir - Translate

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Pensamento do Dia

Os velhos acreditam em tudo; os adultos suspeitam de tudo; os jovens sabem tudo. (Oscar Wilde)

Pesquisar no site

Newsletter

Descriminação

Qual destes grupos acha o mais discriminado socialmente?
 

Opus Gay no Mundo

Todos os artigos publicados pela Opus Gay podem sempre ser integralmente lidos nas seguintes 58 línguas:
(all the articles published by Opus Gay can be read in any of the following 58 languages)
 
Afrikaans
Albanês
Alemão
Árabe
Arménio
Azerbeijano
Basco
Bielorusso
Búlgaro
Catalão
Checo
Chinês Simplificado
Chinês Tradicional
Coreano
Croata
Dinamarquês
Eslovaco
Esloveno
Espanhol
Estónio
Filipino
Finlandês
Francês
Galego
Galês
Georgiano
Grego
Haitiano
Hebraico
Hindu
Holandês
Húngaro
Iídiche
Indonésio
Inglês
Irlandês
Islandês
Italiano
Japonês
Letão
Lituano
Macedónio
Malaio
Maltês
Norueguês
Persa
Polaco
Português
Romeno
Russo
Sérvio
Suaíli
Sueco
Tailandês
Turco
Ucraniano
Urdu
Vietnamita
 
* use o botão
"Traduzir - Translate"
 no topo desta coluna *

Contador de visitas

mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje1510
mod_vvisit_counterOntem2974
mod_vvisit_counterEsta semana20826
mod_vvisit_counterÚltima semª.17660
mod_vvisit_counterEste mês107479
mod_vvisit_counterMês passado239170
mod_vvisit_counterTotal2897392

We have: 17 guests online
Seu IP: 54.227.156.177
 , 
Hoje: 19 Abr 2014

Opus Gay » O que são as DST's?

O que são Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)?


AS DST são doenças transmitidas por meio da relação sexual, seja de homem com mulher, homem com homem ou mulher com mulher. Em geral, a pessoa infectada transmite a DST para seus parceiros, principalmente quando acontece penetração. A prática de sexo anal e oral pode, do mesmo modo, provocar a contaminação das patologias.

Embora denominadas “sexualmente transmissíveis”, estas podem ser ainda transmitidas de forma não-sexual como o contacto com sangue ou outro fluidos corporais contaminados. No entanto, estes são casos mais raros pois as bactérias e os vírus responsáveis por estas doenças não resistem muito tempo fora dos genitais. Podem ainda ser transmitidas através da mãe para o bebé durante a gravidez, o parto ou o aleitamento.


Ao contrário do que muita gente pensa, as DST são doenças graves que podem causar disfunções sexuais, esterilidade, aborto, nascimento de bebés prematuros com problemas de saúde, gravidez ectópica (gravidez que ocorre fora da cavidade uterina), deficiência física ou mental, alguns tipos de cancro e até a morte. Uma pessoa com DST também tem mais hipóteses de pegar outras DST, inclusive a sida. As doenças sexualmente transmissíveis são actualmente um problema sanitário de primeiro plano, pois embora na maioria dos casos exista cura, todos os anos aumenta o número de pessoas que padecem destas doenças. Em muitos casos a falta de informação faz com que se desconheçam os sintomas, que se mantêm ocultos, o que contribui para a sua transmissão

 

Como prevenir as DST’s?

* A prevenção através da pílula, do diafragma, do coito interrompido ou de outros métodos contraceptivos não substitui, de maneira nenhuma, o uso do preservativo. Enquanto os outros previnem apenas a gravidez, o preservativo é o único método seguro de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

* O diafragma, quando usado juntamente com um espermicida, evita algumas DST’s como a candidíase e o condiloma, porém não evita as outras, nomeadamente a Sida.

* No caso de sexo oral, evite o mesmo quando existam lesões na boca e a ejaculação para a boca do parceiro. O uso de preservativo nesta situação é uma segurança adicional.

* Sugira ao seu parceiro um teste a várias DST’s a ambos antes de terem relações sexuais, contudo lembre-se que existe um período que varia de dias até 6 meses em que muitas DST’s não são inidentificáveis num teste apesar de estarem presentes.

* Tenha cuidado com a partilha de objectos que possam estar contaminados com sangue ou sémen infectado.

 

Quem é que corre graves probabilidade de apanhar uma (ou mais) destas doenças?
* Quem tem relações sexuais sem preservativo;
* Quem tem um parceiro que mantém relações sexuais com outras pessoas cuidados (como o uso do preservativo);
* Pessoas que usam drogas injectáveis e compartilham seringas;
* Pessoas que têm parceiros que usem drogas injectáveis, compartilhando seringas;
* Pessoas que recebem transfusões de sangue não testadas;
* Qualquer um - casados, solteiros, jovens, adultos, ricos ou pobres – está vulnerável a estas questões

 

Quais os principais sinais/ sintomas das DST’s?

Feridas (úlceras): aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo, podendo causar dor ou não.

Corrimentos: surgem quer nos homens quer nas mulheres, no canal da uretra, vagina ou ânus. Podem ser esbranquiçados, esverdeados ou amarelados como pus. Alguns têm um cheiro forte e ruim. Nalguns casos sente-se dor ao urinar ou durante a relação sexual. Nas mulheres, quando o corrimento é pouco, só é visto em exames ginecológicos.

Verrugas, bolhas ou borbulhagem: são como caroços, podem parecer uma couve-flor quando a doença está num estado mais avançado. Em geral não dói, mas pode ocorrer irritação ou provocar comichão.

Ardor, irritação ou comichão: mais sentidas ao urinar ou nas relações sexuais. Há pessoas que sentem as duas coisas, outras somente uma e muitas pessoas não sentem nada, acabando por transmitir as doenças aos parceiros.

Dor e mal-estar: dores na barriga ou baixo-ventre (semelhantes às do período), ao evacuar ou nas relações sexuais.

Perdas de sangue: no caso das mulheres, fora do período menstrual.

 

Como tratar as DST’s?

* Faça apenas o tratamento indicado por um profissional de saúde, não aceite indicações de vizinhos, parentes, funcionários de farmácias, etc. Como já foi mencionado este é um problema grave, que não deve nem pode ser encarado como uma simples constipação. A grande maioria destas doenças é tratada com antibiótico.

* Seja responsável e preciso, siga cuidadosamente as indicações do médico, a receita e tome os medicamentos na quantidade certa e nas horas exactas.

* Continue o tratamento até o fim, mesmo que não haja mais sinal ou sintoma da doença. A grande maioria das patologias fica adormecida, dando a sensação de estar já curada, o que futuramente se revelará falso.

* Devem ser avisado todos os parceiros que se teve para que possam também eles fazer o tratamento.

* Deve-se evitar relações sexuais durante o tratamento. Em último caso, use sempre preservativo.

* Apenas como precaução, aproveite e faça igualmente o teste do HIV.

Teste rápido do HIV/ Sida

 

Lésbicas e a prevenção das DST’s:

Todos nós sabemos, embora às vezes nos esqueçamos, como prevenir a maioria das doenças sexualmente transmissíveisuso do preservativo. Contudo, no que toca às relações lésbicas, poucas são as mulheres que atentam nesta questão, não por acreditarem em milagres ou na sua absoluta imunidade mas pela falta de informação! Como tal, tentaremos de seguida alertar para esta questão.
Embora não exista nenhuma forma eficaz de prevenção no caso das lésbicas, como o preservativo o é entre homossexuais masculinos e heterossexuais, é importante que se ganhe consciência de que também elas correm riscos. Esse é o primeiro e o mais importante passo a ser dado.

 

As doenças que se seguem variam na sua gravidade de simples incómodo até perigo de vida. Em todos os casos o diagnóstico prévio facilita o tratamento e evita a propagação da doença, como tal o conhecimento das mesmas é essencial para quem tem uma vida sexual activa. Não obstante, a prevenção é o meio mais eficaz.


As DST’s que apresentamos encontram-se por ordem alfabética, contudo, considerando a extrema gravidade do HIV/Sida, um dos maiores problemas sanitários do século XXI, esta será apresentada em primeiro lugar.

Vidas Alternativas
Questionário Lisboa
Casa em Setubal
Casa em Nisa
Estúdio em Belém
Câmara Municipal de Lisboa
Revista QUIR
Apoio Psicológico
ILGA
Porto Gay
Forum LGBT & Diversidades
IntraLangs - Going Global
Clinicabral
DentalClinic
Blog atuaempresa
Barclays
Câmara Municipal de Évora
Pet Sitting

Traduções

Faixa publicitária